• Conexão Trabalho
  • Unidades do SineBahia

Economia Solidária

03/07/2018 15:07

Livro reúne experiências de empreendimentos econômicos solidários de matriz africana

A trajetória exitosa de afroempreendimentos apoiados pelo Governo do Estado está registrada no livro “A Vitrine da Economia Solidária de Matriz Africana”, lançado nesta terça-feira (03), no espaço de Inovação Vale do Dendê, no Shopping da Bahia, em Salvador. A obra reúne projetos contemplados no Edital nº 001/2014, que contou com um investimento de R$ 9 milhões da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio da Superintendência de Economia Solidária e Cooperativismo (Sesol).

“Pela primeira vez, a secretaria lançou um edital voltado para empreendimentos econômicos solidários de matriz africana e o livro traz ao público um condensado das experiências inovadoras desenvolvidas nesse período. Os resultados positivos da chamada pública nos motivam a desenvolver novas ações com esse viés”, destacou o titular da Setre, Vicente Neto, durante o lançamento.

O edital selecionou 54 projetos de instituições não governamentais e de organizações sociais, em áreas como artesanato, confecção, culinária, plantas medicinais, música, capoeira, estética e moda afro. Para o superintendente estadual de Economia Solidária e Cooperativismo, Milton Barbosa, a chamada pública “foi um reconhecimento do potencial empreendedor do povo negro e contribuiu no resgate e na valorização das tradições de uma população historicamente excluída”.

Entre as iniciativas reunidas no livro está o Projeto Multicultivo Quilombola de Cordoaria, no município de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. A proposta teve um aporte de R$ 121 mil para a reforma da estrutura física e compra de equipamentos da casa de farinha da comunidade, que estava parada há mais de 10 anos. “O edital revigorou a produção local de beiju e de farinha, impulsionou o plantio da mandioca e estimulou o turismo étnico. Foi um passo importante para a comunidade e o pessoal ficou bastante feliz com esse registro no livro”, contou o coordenador do projeto, Jorge Nascimento.

Outro destaque é o Projeto Asó Orisa, do Terreiro da Casa Branca, na capital baiana, que recebeu R$ 171 mil para reforma do Espaço Cultural Vovó Conceição e incremento da confecção de roupas de santo. “Nós acreditamos no edital desde o início e estamos todos felizes com o resultado do trabalho que foi feito com comprometimento, dedicação, amor e respeito ao próximo”, afirmou uma das principais sacerdotisas do terreiro, Ekedi Sinha.

Ascom Setre
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.