• EcoFolia Solidária 2024
  • Inscrições do Programa Bahia Produtiva
  • BahiaMEI - Faça sua inscrição!
  • Contracheque no ZAP
  • Portal Transparência Bahia

Trabalho Decente

07/02/2024 15:02

Governo da Bahia lança EcoFolia Solidária e entrega equipamentos para cooperativas de material reciclável

Ato simbólico aconteceu nesta quarta-feira pela manhã, no estacionamento da Setre e contou com a presença do governador Jerônimo Rodrigues

O Governo da Bahia entregou equipamentos para cooperativas de material reciclável nesta quarta-feira (07/02), durante lançamento oficial da ação EcoFolia Solidária – o Trabalho Decente Preserva o Meio Ambiente, que acontece pelo 16º ano no Carnaval de Salvador. O ato contou com a presença do governador Jerônimo Rodrigues, do vice-governador e coordenador do Carnaval, Geraldo Jr., além dos representantes das secretarias que participam da ação.

Com o investimento de aproximadamente 3,2 milhões de reais, a ação contemplará 2.500 catadores de materiais recicláveis de 16 cooperativas parceiras, durante o Carnaval, mas este ano foram distribuídos equipamentos permanentes para melhor estruturar a cadeia produtiva da reciclagem: 15 prensas elétricas, 20 balanças eletrônicas, 15 carrinhos elétricos e 06 triciclos para as cooperativas.

O governador Jerônimo Rodrigues disse que o Governo do Estado aproveitará o Carnaval para mandar mensagens à sociedade. “Por exemplo, o respeito às mulheres, o respeito ao povo preto, aos ambulantes. Hoje, trazemos uma mensagem muito forte com a entrega concreta da Setre, da Sema [Secretaria do Meio Ambiente], da Secretaria de [Políticas para as] Mulheres, da Assistência Social [Seades], da CAR [Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional], fazendo entregas de equipamentos para os catadores e catadoras. Aqui, nós temos desde carrinhos, bicicletas, que ajudarão no peso, mas também tem máquinas que prensam o material”, disse o governador.

Ele disse, ainda, que o ato em respeito e reconhecimento aos catadores e catadores não se restringirá ao Carnaval. Ele citou, como exemplo, a importância de articulação junto ao Poder Legislativo para que a categoria seja reconhecida e remunerada como prestadora de serviços ambientais.

Para Genivaldo Ribeiro, o Tico, diretor da Coopeguary, que coordena um coletivo de 12 cooperativas, os novos equipamentos facilitarão o ato de catação dos trabalhadores. “A gente está falando de catadores e catadoras de material reciclável que vão poder realizar um sonho tirando recurso do Carnaval. E esses equipamentos vêm para somar à tecnologia social maior do mundo que é o trabalhador e a trabalhadora. A gente fica feliz de estar participando do Carnaval e tendo mais esse upgrade que é tecnologia a favor do trabalho dessas pessoas que fazem de verdade o Carnaval de Salvador”, disse o cooperado.

O secretárioda Setre, Davidson Magalhães, reforçou o fato de que “o trabalho com catadores e catadoras não é um trabalho episódico apenas de Carnaval e São João”, lembrando que se trata de trabalho sustentável e estruturante realizado em diversos Territórios do estado para a  cadeia produtiva da reciclagem.

A EcoFolia Solidária é uma ação coordenada pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) em parceira com as Secretarias de Meio Ambiente (Sema), Desenvolvimento Rural (SDR) por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR),  Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) e de Políticas para as Mulheres (SPM). Estão contempladas na ação 16 cooperativas de catadores de recicláveis, sendo um coletivo representado pela Cooperguary, reunindo 12 cooperativas, além da Cata Bahia, Recicla Bahia, Recicla Conquista e CRG.

Outros equipamentos - No Carnaval, o projeto EcoFolia Solidária oferece aos catadores fardamento adequado (calça, camisa, boné), produzido pela Cooprede de Feira de Santana, EPI’s (botas e luvas), mochila produzida por empreendimento solidário e equipe técnica para execução da ação durante a folia.  Os catadores vão contar com 10 centrais de coleta (três exclusivas do Governo da Bahia), localizadas em pontos estratégicos próximos aos principais circuitos da folia, para recebimento e comercialização de alumínio, pet e plástico, eliminando a ação de atravessadores.

Os materiais coletados nas centrais serão vendidos para as cooperativas parceiras da iniciativa, que estocam esse material aguardando o melhor momento para a comercialização à indústria recicladora, já que durante a folia o mercado se desvaloriza em decorrência da maior oferta dos resíduos.

A coordenadora nacional e estadual dos catadores de material reciclável, Jeane Santos, presente no ato, disse que os catadores estão passando dificuldade com a queda de preço de material reciclável. “As indústrias e recicladoras estão preferindo comprar matéria virgem para produzir outros resíduos e deixando o reciclável pra trás. Hoje, as cooperativas sofrem, as cooperativas do interior do estado sofrem ainda mais”. Ela fez um apelo ao governador para que sejam atraídas indústrias recicladoras para a Bahia e que os grandes geradores de resíduos sólidos doem o material às cooperativas.


Mulheres terão espaço exclusivo

Uma novidade deste ano é que, pela primeira vez, as mulheres catadoras de material reciclável terão um espaço exclusivo para atendê-las, o Espaço EcoFolia Solidária, montado no Vale do Canela. No local, será ofertado um café-da-manhã e espaço para banho (com sabonete e toalha descartáveis). Além disso, as mulheres poderão relaxar com o recebimento de massagem terapêutica e acupuntura, dentro da ação Cuidar de Quem Cuida, promovida pela SPM.

“Maravilhoso. As mulheres são maioria negra, mães de família, e isso, para a gente, chega a ser impactante, porque a gente vê todos os dias o cotidiano dessas mulheres e é muito importante esse apoio”, declarou Rita Ferreira, técnica da Rede Inclusão de Cooperativa e Catadores de Resíduos Sólidos da Bahia (Icatres-Bahia).

Para Tico, diretor da Coopeguary, o espaço é “a cereja do bolo”. Ele ressaltou a importância da atenção especial às mulheres catadoras: “São mães de família, que deixam as casas para estar no Carnaval de Salvador. E a Setre não podia fazer coisa melhor do que esse acolhimento humanitário, levando mais dignidade e tranquilidade a essas mulheres”.

Serão beneficiadas entre 50 a 100 catadoras diariamente, no período de 5h às 11h. O acesso aos serviços será por meio de fichas distribuídas entre as cooperativas parceiras e prioriza as mulheres que trabalham durante a madrugada.  "Eu acho muito importante na rotina do Carnaval a gente ter um tempo para cuidar da gente. São oito horas de trabalho muito cansativas", disse Jaqueline Sena Souza, 52 anos, presidente da Cooperlix, que criou cinco filhas catando material até chegar à presidência da cooperativa.

Segundo estimativa da Cooperlix, cooperativa formada somente por catadoras de material recicláveis, com sede no bairro de Valéria, em Salvador, as mulheres representam cerca de 80% dos trabalhadores nas centrais de recolha, embora estejam em menor número catando material no circuito da folia.


Bloquinho

Como parte da ação, o Bloquinho Eco Folia Solidária desfila no circuito Barra-Ondina, nesta quarta-feira (07/02), com concentração às 16h30, fazendo o percurso do Farol da Barra ao Cristo, animado pelo Rixô Elétrico. O objetivo é chamar a atenção dos foliões para a importância da iniciativa. O bloquinho é uma iniciativa da Setre e conta com aproximadamente 500 pessoas que estarão distribuindo ventarolas do EcoFolia Solidária ao longo do circuito.

A proposta é engajar os foliões na ação, conscientizando sobre a necessidade da coleta seletiva, responsável pela redução dos impactos causados pelo descarte inadequado de resíduos durante a folia. A EcoFolia Solidária contribui, também, para a valorização do profissional que trabalha como catador de material reciclável, muitas vezes ignorado pela sociedade.

Ascom Setre 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.