• SineBahia Mulher
  • Unidades do SineBahia
  • Carteira Nacional do Artesão e Artesã
  • Bahia estado voluntário
  • Bahia estado voluntário

Esporte e Lazer

06/11/2019 12:11

Projetos de capoeira recebem incentivo de R$ 518 mil do Governo da Bahia

O projeto de capoeira Roda Educativa irá realizar oficinas nas zonas urbana e rural do município de Valente, na região sisaleira, beneficiando diretamente 180 pessoas de todas as idades. A ação é uma das 14 propostas contempladas pelo Edital de Seleção de Projetos de Valorização da Capoeira, uma iniciativa da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio da Superintendência dos Desportos da Bahia (Sudesb).

“Nosso propósito é incentivar a prática da capoeira e levar um pouco da história dessa manifestação para todos os cantos do município”, afirmou a coordenadora do projeto, Juscilene Rios, nesta quarta-feira (06), durante a cerimônia de assinatura dos convênios entre Governo do Estado e entidades selecionadas por meio do chamamento público, no auditório da Setre, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

O edital contou com um investimento total de R$ 518 mil para fortalecimento e preservação da memória dessa expressão cultural, que reúne arte marcial, esporte, cultura popular e música. “Essa é uma experiência inédita, que contribui no reconhecimento de um traço da matriz africana do nosso estado. Vamos continuar o diálogo com associações e grupos de capoeira para aperfeiçoar os mecanismos de apoio ao segmento”, ressaltou o titular da Setre, Davidson Magalhães.

Além de Valente, o certame contemplou a capital baiana e outros municípios do interior como Santo Antônio de Jesus, Vitória da Conquista e Poções. Outra proposta aprovada foi “Na Ginga dos Antigos: A Velha Guarda da Capoeira Angola nas Periferias de Salvador”, apresentada pela Associação Brasileira de Capoeira Angola (ABCA), em parceria com o Coletivo de Identidades Negras da Bahia.

“O edital é fundamental porque a capoeira se manifesta há muitos anos em diversos bairros e lugares, através da ação quase voluntária dos mestres. Essa ação precisa ser reconhecida, valorizada e potencializada pelo estado”, sintetizou o integrante da ABCA, Paulo Magalhães.

Ascom Setre
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.